Independente do seu segmento, é imprescindível que o cliente se identifique com seus produtos e sua marca. Isso não envolve apenas as suas atividades e sim todos os elementos que são associados à imagem dela. E, além da identidade visual e das disposições que a empresa exibe, há outro elemento que pode ser muito importante na proximidade com seu cliente: o mascote da empresa.

Com a presença de uma mascote para a sua marca, a relação de proximidade e assimilação que seu cliente tem com a empresa pode ser muito maior, pois o fato de ter um mascote humaniza a marca.

Quem não se lembra do “Baianinho” das Casas Bahia? Ou até mesmo do “Pinguim” do Ponto Frio?

Ah, esse Pinguim!

Sabe quanto ele rendeu para o Ponto Frio em 2012? R$ 20 milhões! Isso com uma estratégia simples e, ao mesmo tempo, inteligente. Esse rendimento veio através do seu perfil no Twitter e Facebook, “apenas” apresentando os produtos da empresa (claro, de uma forma diferente e bem próxima do consumidor), a qual complementa as ações como anúncios e outros esforços de marketing.

Sobre a proximidade com o cliente, enquanto várias marcas os chamam de seguidores (na internet), o Pinguim os trata como amigos, sem script de atendimento, sem burocracia e até mesmo liberando descontos para as compras.

MAS COMO CRIAR UM MASCOTE?

Busque atemporalidade. Sua marca vai ficar por muito tempo no mercado e será, constantemente, exibida ao consumidor. Portanto, use um mascote que reflita a estabilidade. Tente fazer com que seu mascote seja facilmente relacionado ao seu produto e/ou marca. Afinal, essa pode ser a primeira imagem de um potencial cliente do seu negócio.

Pense em todos os pontos negativos. Quando já tiver as possibilidades de mascotes em mãos, tenha cuidado com o que a sua imagem pode refletir, busque sobre outros significados dos elementos, para que não haja outras interpretações senão a que você quer passar para o seu cliente.

Preze por uma excelente arte. De nada adianta sua ideia de mascote ser magnífica sendo que a imagem final dele será totalmente mal feita. Por isso, busque por profissionais altamente capacitados para tirar a sua ideia do papel.

Utilize as redes sociais de forma diferente. Pense no seu personagem como um parte externa da sua empresa para se comunicar com o consumidor.

Crie perfis para seu mascote nas principais mídias, mantenha-no atualizado e, o principal, crie uma forma de manter uma proximidade com os seus seguidores, tenha autonomia para isso. Nós, da House, podemos te ajudar a deixar o seu mascote mais vivo do que nunca!